Bike Clinic: Noções básicas para ciclismo
Dicas |  10 de maio de 2016
IMG_0272

No dia após o duathlon tive uma oportunidade incrível de participar do que eles chamam de “bike clinic”, organizado pelo STC (Saskatchewan Triathlon Centre). Do que se trata? Basicamente é um curso (durou das 10:30 às 16:00) voltado para melhorar as habilidades na bike, das mais simples até as um pouco mais avançadas. Um trabalho parecido é desenvolvido pela Escola de Natação Primeiro Estilo para crianças e adolescentes em Guarapuava.

Você sabe como desviar obstáculos? Pular um meio fio? Sinalizar outros ciclistas sobre buracos, sujeira na pista, carro ultrapassando, etc? Como comer e tomar água durante o pedal? Como se posicionar nos diferentes tipos de subida? Que marchas usar? Como fazer curva junto a outros ciclistas? Como ficar no vácuo e se movimentar dentro do pelotão? Como fazer retornos de 180o? Como montar em desmontar da bike rapidamente? Como deixar a sapatilha presa no pedal antes da transição? E fazer a transição no menor tempo possível?

Pois é, esses foram alguns dos tópicos que trabalhamos no domingo. O grupo de, aproximadamente, 25 pessoas contava com crianças (sim, pequenos que fazem triathlon já, coisa linda), adolescentes, e adultos. A partir disso foram criados grupos que possuíam de 2 a 3 técnicos certificados e com muiiiiita experiência nas costas.

Começamos o dia com lições básicas de segurança, como sinalização de diminuição de velocidade, buracos, e sujeira na pista, também, como sinalizar “dobrar”  à direita ou à esquerda, e se há uma movimentação do pelotão à direita ou à esquerda. E inclusive: anunciar o que está por vir. Nem sempre 100% dos ciclistas estão 100% prestando atenção em todas as adversidades que podem acontecer no caminho. Como, geralmente, os pelotões são formados em uma linha reta ou então em duas fileiras, as pessoas que estão a frente tem o dever de sinalizar os companheiros que vem atrás. Não custa dizer: buraco, carro, diminui, curva, pedra, etc. E com a prática a gente começa a fazer sem perceber… E, dessa forma, também pode evitar acidentes com outros carros, motos, caminhões e, até mesmo, pedrestes.

Nesse vídeo algumas dicas de segurança no trânsito. Está em inglês mas dá para entender: Dicas de segurança no trânsito

 

Outra coisa legal que aprendemos/relembramos foi a comer e beber água em movimento, com ambas as mãos. É uma prática que parece simples, mas requer treino para que seja feita sem tensão ou pensar demais, aliás o foco é na estrada ou na prova, sendo o mínimo que queremos nos preocupar “como abrir o gel” “aonde está a garrafa”. Não precisamos olhar para o quadro para achar a garrafa de água, isso pode nos desestabilizar na bike… Assim como não precisamos parar para abrir um gel, podemos abrir com a boca mesmo e guardar o pacotinho vazio no bolso da camisa. Como exemplo, esse vídeo abaixo mostra um pouco mais de como beber e comer durante o pedal:

 

Além disso, tivemos prática de como saltar com a bike. Por que isso é importante? Nas trilhas temos muitos obstáculos, então saber como saltar, fazer o “bunny hop”, é muito útil. Já na estrada, o bunny hop é importante para subir e descer meio-fio, desviar de obstáculos, etc.

 

Como falei no último post sobre o duathlon, uma das coisas que eu Preciso muito melhorar é a transição, pois podemos ganhar segundos preciosos. Parece fácil né? Quem vai ter problemas em colocar capacete, meia, número, óculos, etc? Mas não é bem assim não hahaha E, o que mais me chamou atenção, foi em como prender a sapatilha na bike, fazer a montagem e desmontagem da bike sem problemas economiza tempo. Com a sapatilha presa ao pedal, os ciclistas saem da área de transição empurrando a bike pelo selim (sim, parece estranho mas é bem mais rápido e questão de costume), passam a linha de montagem, e pulam em cima da bike. Vestir a sapatilha fica para durante o pedal, o importante é estar em movimento. Fácil? Não! hahaha vou ter que guardar um dia da semana para treinar transição, indico fazer os treinos em algum gramado antes de sair para o asfalto. O que percebi (e já havia comentado em outros posts) é que você sempre deve treinar a ordem e deixar seus equipamentos posicionados de forma que facilite essa ordem (óculos, capacete, tênis, número, gel, tudo), e trabalhar a sua mente repetindo essa ordem, seja quando sai da natação ou está finalizando o pedal. Importante: lembrar de fivelar o capacete antes de tocar na bike e de tirar o capacete apenas quando a bike estiver no hack. Um exemplo básico de como proceder na transição:

Outras dicas legais são:

1) Observe os outros ciclistas e tente ficar distante daqueles que parecem não ter boa noção de segurança e estarem variando demais o jeito de pedalar;

2) Evite ficar acelerando e freando toda hora, tente manter uma cadência constante;

3) Nas subidas simples, abra bem o peito para ter maior contato com o ar para absorver mais oxigênio;

4) Tente não trocar marcha na coroa da frente em uma subida muito íngrime, as chances de cair a correia são grandes!

5) Não heiste subir na bike para pedalar em uma subida, mas sempre lembre de subir uma marcha, pois quando estamos nessa posição conseguimos gerar mais força;

6) Em uma descida tente relaxar o máximo possível, seja o amortecedor da bike, se movimente com ela, pois se você tiver tenso o sangue não circula bem pelo corpo, resultando em maiores sintomas de cansaço;

Das muitas coisas que falaram aquele dia, acho que é isso que gostaria de passar galera. Ótimos treinos e comecem a prestar atenção nas suas atitudes no trânsito durante o pedal, pode salvar a sua vida e do seu colega.

Gostou? Compartilha!
Facebook
Twitter
Comente

Deixe seu Comentário!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *