Vai viajar? Bike na Mala!
Equipamentos |  08 de setembro de 2015
capa

Esses tempos já falei sobre como transportar as bikes no carro (confira aqui) e agora com essa história da minha viagem para o Canadá, pesquisei bastante como transportar a bike caso a viagem seja de avião / ônibus. Achei tanta opção que pode variar de acordo com disponibilidade de espaço e quanto estiver disposto a gastar. Você já ouviu falar do Mala-bike?

 

Pois é, para quem não sabe (assim como eu não sabia até pouco tempo), existem malas específicas para o transporte das nossas magrelas. Seja para viajar de férias, passeio ou, então, para participar de alguma prova em outra cidade, estado ou país, existem maneiras que causam nenhum ou minimizam os danos do transporte às bicicletas. Visitei alguns sites para entender mais sobre o assunto e encontrei algumas características que devem ser observadas e, também, alguns modelos que podem ser encontrados no Brasil.

 

Primeiro de tudo, deve-se definir qual será a frequência de uso do mala bike para justificar a sua compra, bem como o espaço disponível para armazenamento para tal (sim, os rígidos são bem volumosos). Mesmo atletas amadores podem precisar do equipamento, pela praticidade de transporte e facilidade que temos, hoje, de viajar de avião, por exemplo. Segundo o site Bikeradar seguem algumas dicas que devem ser levadas em consideração antes de comprar o seu mala bike:

 

1) Sacola ou mala rígida: Se você é aquele ciclista que viaja pouco e raramente para distâncias longas (como locais que exijam algumas escalas), a sacola se torna um ótimo custo x benefício. Além disso, uma ótima solução para a questão de espaço, por poder ser dobrada e armazenada em qualquer armário. Contudo, se você não se separa da bike para nada, faz muitas viagens para competição, é melhor optar por uma mala rígida em que sua bike ficara mais protegida ainda.

 

2) Alças: são sempre úteis, seja para subir escada, puxar o mala bike pelas rodinhas, auxílio para retirar da esteira e/ou carro. Portanto, quanto mais, melhor.

 

3) Rodinhas: sem dúvidas são fundamentais, ainda mais se tiver que percorrer distâncias enormes, como atravessar de ponta a ponta o aeroporto. Isso porque a mala pode ser um pouco pesada, devendo-se ter uma atenção redobrada com as rodinhas – se são do tamanho adequado, estão expostas ou não (se expostas tendem a quebrar mais facilmente), material que são feitas, entre outros

 

4) Interior: a proteção interior é fundamental para garantir que sua bike chegará ao local segura e sem danos. Portanto, protetores de espuma resistentes são necessários e, também, compartimentos para prender ou guardar partes da bike como correias, também, evitam que essas peças fiquem soltas dentro do mala bike o que pode acarretar em sérios danos.

 

5) Armazenamento para roda: os mala bikes com compartimentos separados para rodas ou bolsas separadas para elas, valem muito a pena. Algumas malas rígidas possuem compartimentos para rodas presos nas laterais, separados da parte principal – restante da bicicleta.

 

6) Segurança: cuidado com a segurança nunca é demais, quanto mais dificultar um possível arrombamento, melhor. Portanto, malas rígidas com fechaduras ou bolsas com zíperes para cadeado são importantes. As malas rígidas, nesse sentido, são mais seguras por não poderem ser rasgadas como as de tecido.

 

Agora que já possui algumas dicas do que deve ficar de olho na hora da compra, encontrei em alguns sites modelos disponíveis no Brasil e que podem ser a solução para você levar a sua bike para qualquer lugar.

 

MALA BIKE EXTRA – SOLID SPORT

 

solidsport

 

Mala bike que pode ser utilizada tanto para bicicletas de estrada como mountain bike, fabricada em nylon 600 PVC e forrada com espuma de alta densidade. Possui bolsos externos para acomodar as rodas que são moldados em EVA (borracha sintética resistente. Possui alças tiracolo e de mão, assim como zíperes com 2 cursores, o que permite trancar o mala bike com cadeado. Não possui rodinha e o preço médio é de R$400,00.

 

Encontrei uma avaliação do produto em um site onde listaram os pontos positivos e negativos:

Pontos positivos

** O material de confecção resistente com pequenos danos ao fim da viagem (Brasil a Cuba).

** Compartimentos para as rodas liberam o espaço interno

** Identidade visual é agradável.

** Bolso para adição de identificação

 

Pontos negativos

** Não possui rodinhas

** Ausência de fitas de compressão para ajuste na largura da mala.

** Bolso externo, com fecho em velcro, poderia ser na interior da mala

** Bolso externo para rodas é para aro 26″

 

MALA BIKE SERFAS

 

serfas_Malabike2

 

É um mala bike rígido construído com poliuretano rígido, muito resistente, garantindo segurança para a bike. Além disso, possui três espumas internas para servir de divisões entre as paredes da mala, para separar o corpo da bicicleta (quadro) das rodas. É leve – 10,5kg – e compacta, podendo ser acomodada no porta-malas de um carro. Possui rodinhas para melhor mobilidade e quatro travas de aço inoxidável. Contudo, o preço é um pouco mais salgado, em torno de R$1000,00 a R$1300,00.

 

Serfas_Malabike

 

As malas rígidas acomodam melhor e acabam protegendo mais as bikes, são recomendadas para ciclistas que viajam bastantes ou possuem bikes de alto valor. E o legal é que acomoda bikes de 29″.

 

MALA BIKE THULE

 

thule

 

A marca Thule é conhecida mundialmente pela sua excelência em equipamentos, para isso há um preço. O mala bike Thule é indicado para transportar bikes tanto de estrada como de mountain bike, construido com rígido polietileno, garantindo a segurança da bike. Além disso, por transportar as rodas da bike dentro do compartimento, se torna mais compacta, porém é um pouco pesada (14kg) e segundo revisões que li as rodinhas são um pouco frágeis.

 

thule2

Algumas dicas que encontrei no youtube de como prender sua bike e a ajeitar corretamente: https://www.youtube.com/watch?v=D8iaRdiU5H0

Outros modelos podem ser citados, porém não é garantia que serão encontrados no Brasil, como Biknd Helium, Bikebox, Scicon, Polaris, Elite, DHB, entre outras. Portanto, não tem desculpas para viajar sem a bike, para tudo se dá um jeito.

 

E como fica a situação dos mala-bikes para transporte em ônibus e avião?

Ônibus:

Segundo a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), a lei garante que o passageiro transporte até 30kg no bagageiro do ônibus e o volume não pode ultrapassar dos 0,3 metros cúbicos. No interior do ônibus, a bagagem de mão deve pesar no máximo 5kg.

 

bikebuss

 

Algumas empresas de ônibus, aceitam que o passageiro leve a sua bicicleta montada no bagageiro, desde que estejam protegidas e não danifiquem outros objetos no bagageiro. Contudo, a grande maioria exige que estejam desmontadas e embaladas apropriadamente – seja em caixa de papelão ou mala bike.

Uma dica é chegar mais cedo para o embarque e você mesmo colocar sua bike no bagageiro, para prevenir alguns danos adicionais na bike. Contudo, nem todas as empresas seguem as normas da ANTT, portanto é recomendável checar o que é permitido antes de realizar a sua viagem.

 

Avião

 

Para quem viaja de avião, a ANAC (Agência Nacional de Aviação) diz que a franquia dos vôos nacionais para as aeronaves que tenham mais de 31 lugares é de 23kg, podendo ser despachado mais do que um volume, desde que esse limite não seja excedido. Se por acaso esse limite for ultrapassado, o transporte da bagagem dependerá da aprovação da empresa e cobrança do excesso de bagagem. Além disso, artigos esportivos são inclusos nesses limites.

A grande maioria das empresas exige que os pedais sejam removidos e estejam embalados e, também, o guidão esteja paralelo ao quadro e com suas extremidades embaladas. A roda dianteira deve ser removida e fixada junto ao quadro.

 

bikeAviao

 

Algumas empresas são mais flexíveis, como é o exemplo da TAM, em que há muitos relatos de transporte de bikes sem que houvesse problemas – não só pelo transporte gratuito da bicicleta, mas também com o tratamento dado a ela. Caso a viagem for internacional, as regras devem atender às normas do local de origem da viagem.

Espero que o post tenha esclarecido algumas dúvidas e, também, se alguém tiver alguma experiência no transporte, poderá compartilhar, será ótimo!!

Observações: No guia de melhores equipamentos para triathletas da Triathlete, listaram as melhores opções de compra para 2016, confere aqui


Fonte: BikeRadar

 

 

 

Gostou? Compartilha!
Facebook
Twitter
Comente

Deixe seu Comentário!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *