Com carinho, Slice!
Equipamentos |  09 de junho de 2015
SliceDetails_

A ansiedade foi tanta, mas no feriado deu para testar a bike nova! Quase a coloquei dormir comigo de tanto amor! Não sei direito por onde começar, mas já posso adiantar: não poderia ter feito escolha melhor.

 

A Cannondale Slice já esteve nas mãos de grandes Iron Women, como Mirinda Carfrae and Chrissie Wellington. Mais recente adepta é a Michelle Verstby, que teve boas experiências com a Slice RS e SuperSix Evo Women’s, e está pilotando uma Slice desde 2014. Seus resultados são inspiradores.

 

 Michelle VESTERBY

Michelle em sua Cannondale Slice

 

O modelo Slice é uma bike de triathlon e não uma TT (time trial), o que muda? uma bike TT é desenvolvida com ênfase na velocidade e aerodinâmica, enquanto a bike de triathlon é desenvolvida para oferecer um maior conforto, encaixe e que permita pedalar na posição após horas, como em provas de Ironman.

 

Com a abordagem de RealTri tecnologia, a Cannondale adotou o slogan “go faster, stay fresher, ride easier“. Essa tecnologia foi aprimorada com foco no túnel de vento, em que a marca se tornou obcecada com o desempenho da bike no túnel de vento em detrimento de outros fatores, como o conforto, manuseio e peso. Também, vale lembrar que eles não economizaram nos detalhes nesse redesenho da bike.

 

Cannondale Slice 105-017

Freio traseiro que está na parte debaixo agora

 

 

canote

Desenho do canote que mudou, ficando mais aerodinâmico e bonito.

 

 

bike

A pintura achei show, usando as cores preto, branco e verde, com os traços que dão a impressão de movimento e leveza.

 

aerosave O conforto enquanto realiza uma prova longa como, por exemplo, um Ironman (112 milhas) é fundamental. Por isso, a Cannondale desenvolveu o Aero SAVE (Synapse Active Vibration Elimination) para a parte de tras e garfo da bicicleta. Essa tecnologia foi projetado para fornecer mais conformidade, suavizando imperfeições na estrada.

 

Não tenho uma vasta experiência em bikes speed e, especialmente, as de triathlon. Por ser minha primeira, pesquisei bastante, ouvi bastante coisa, e tudo que ouvi ou li sobre a Slice, foi MUITO favorável a compra. E hoje só posso assinar embaixo, estou super satisfeita, estou ainda mais ansiosa para o teste em minha primeira competição com ela. Aliás, ela merece um nome, alguém ajuda?

 

Foi a primeira vez que pedalei uma bike de triathlon e fiquei impressionada com a leveza da bike enquanto pedalo. Parece que ela é uma extensão do meu corpo e que a força aplicada é menor do que em uma bike estrada. Facilmente cheguei aos 45km/h. Mas, também, deve-se levar em consideração que o novo modelo conta com 1,2kg a menos do que o modelo antigo, assumindo a posição dentre as mais leves bikes de triathlon da categoria.

 

Apesar da Cannondale servir como fornecedor para o novo Garmin-Cannondale Cycling Team, o “Fit” da nova Slice baseou-se em torno de seu consumidores: triatletas, e não a equipe ProTour. Ela possui uma extensão do selim muito eficaz entre 77-81 graus (talvez explique meu maior conforto). Sempre tive problemas com o selim, certo desconforto depois de 1 hora pedalando, mas pensava: acostuma! Passaram-se 6 meses e nada de acostumar (rs). Contudo, não sei se foi a posição do banco da Cannondale que foi redesenhada para maior conforto ou, até mesmo o material do selim, mas quando desco da bike parece que andei 20 minutos e não 2 horas ou mais.

 

Outro detalhe que percebi foi que os músculos trabalhados são diferentes de quando andava com a minha speed, parece que sair para correr após o pedal ficou uma transição muito mais tranquila e menos cansativa.

 

Com certeza, meu bem-estar em relação a minha bicileta não seria tanto, se não tivesse feito o bike fit. Para quem não sabe, o bike fit nada mais é que o ajuste perfeito da bicicleta para o ciclista, levando em conta suas características únicas da anatomia e biomecânica. É essencial para prevenção de lesões e eficiência maximizada. Uma posição ideal na bicicleta concede melhor conforto e satisfação durante a pedalada. Todo corpo é diferente e seu posicionamento na bicicleta deve ser de acordo com sua biomecânica. Vale lembrar que o bike fit deve ser feito independente do tipo de bike que o atleta use, seja MTB, speed, ou TT.

 

BikeFit_1

Bike Fit na Kopanski Bikes

 

O meu bike fit realizei na grande parceira Kopanski Bikes e em cerca de uma hora estava com a bike ajustada para meu tamanho, como altura do banco, distância do clip, da mesa, tudo certo para um pedal com maior eficiência possível. Seguindo as dicas do pessoal que entende muito de bike e o coach Vinicius.

 

Ótimo detalhe da estreia da bike, foi estar com as amigas e companheiras de equipe, o passeio foi muito mais gostoso e rendeu muita risada – como sempre, TSKinta com laque e blush.

TesteBike_1

 

Gostaria de encorajar mais mulheres a experimentarem as bikes speed e triathlon, o medo é inevitável em qualquer que seja a modalidade quando não estamos acostumados, contudo: se tem medo, vai com medo mesmo!

 

Para quem quiser ainda dar uma conferida na bike, veja esse vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=XlPYIPNV-z4

 

Fontes de pesquisa: Bike RadarActive e Road.cc

 

Gostou? Compartilha!
Facebook
Twitter
Comente

Deixe seu Comentário!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

  1. Tany disse:

    Sensacional Paty!!! Parabéns!! #laque #blush #primer