A la Canadá: cross-country skiing
Equipamentos |  15 de janeiro de 2017
DCIM101GOPROG0402765.JPG

Vocês bem sabem que ninguém aqui fica parado no inverno, é o tal “vida que segue”, porque se fossem pensar que está muito frio, muito vento, muita neve, e mimimi, ficaríamos presos em casa por 6 meses. E se não tem o que fazer: a gente inventa. Quando cheguei do Brasil essa semana a temperatura estáva próximo aos -28oC (sensação de -38oC), porém ontem começou uma ondinha de “calor” aqui e chegamos a -8oC (sensação de -14oC). Parece pouco? Mas deixa a temperatura cair 24 graus e quero ver quem vai estar de shorts e camiseta, ou aumentar tanto assim de um dia para o outro. hahaha

Já fui esquiar, patinar no gelo, a jogo de hockey, futebol canadense, lacrosse, rugby, etc etc. Mas até então ainda não tinha feito “Cross-Country Skiing” que, por sinal, gosto muito. Além de um ótimo exercício, é prático pois pode ser praticado em qualquer trilha ou parques específicos (que no verão são usados para corridas e caminhadas) e no inverno são preparados para o cross-country skiing.

DCIM101GOPROGOPR2777.JPG

O cross-country skiing começou na necessidade das pessoas se locomoverem para buscar suprimentos entre pequenas comunidades em países do norte (com grande quantidade de neve). Dessa forma, o esqui passou a ser, além de meio de transporte, se tornou uma importante atividade social entre essas comunidades. Atualmente é utilizado para recreação, esporte (Olimpíadas de Inverno), e ainda locomoção.

No cross-country skiing o esqui é unido somente à bota no dedo do pé, liberando o salto para permitir que o esquiador execute mais de um movimento de patinação para a terra lisa, para cima e encostas downhill lisas. As botas de Cross-country também são muito mais flexíveis, mais como uma bota de caminhada do que bota de esqui downhill.  Além disso, os esquis de downhill são muitas vezes curvados nas pontas, já os de cross-country são curvados no meio para possibilitar movimento e impulso, muitos tem um shape especial na parte de trás para facilitar o grip para subir morror e não deslizar para trás. Já os bastões (“poles”) de cross-country são tipicamente mais longos e, ligeiramente, curvos para ajudar a empurrar através da neve.

crosscountry2

Nós alugamos todos equipamentos em uma loja de esportes daqui (em média custa $16.00 para o dia) e fomos a um parque que fica há uns 4km da minha casa. E nem precisou muita técnica, sobrevivemos, caímos, subimos morrinhos, descemos… E no fim foram aproximadamente 6km. E a dor nas pernas no outro dia? Ainda mais porque havia pedalado e corrido. Mas com certeza usa um grupo de músculos diferentes e que nem sabia que existiam direito hahaha. Recomendo e não vejo a hora de ir de novo.

 

 

Gostou? Compartilha!
Facebook
Twitter
Comente

Deixe seu Comentário!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *